10 músicas de protesto contra presidentes




Recentemente tivemos uma porção de artistas se manifestarem contra o nosso presidente interino, Michel Temer. Historicamente falando, artistas sempre tiveram um papel chave em denunciar e se manifestar contra os poderosos. Pode se dizer que a forma das músicas de protesto que temos hoje tem suas raízes nos movimentos populares dos anos 60. Foi nessa época que surgiram nomes como Bob Dylan, Jefferson Airplane e Frank Zappa nos Estados Unidos. Enquanto no Brasil, surgiram artistas como Caetano Veloso, Geraldo Vandré e Chico Buarque. Todos esses citados são artistas distintos, com suas próprias abordagens para falar do assunto. São unidos, porém, por uma mesma vontade de dizer verdades. Isso é, dizer verdades que inconveniência aqueles que estão no poder.

Talvez nenhum presidente tenha sido alvo pessoal de tanta música de protesto quanto o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O presidente, com seu discurso populista e histórico de celebridade de reality show, é um prato cheio para humoristas e ativistas de todos os meios. Porém, a história da música “anti-presidencial” não começou nem terminou com ele. O showlivre.com separou alguns exemplos de músicas direcionadas ao chefe de estado.



  1. Fiona Apple - "Tiny Hands"


Uma das melhores estratégias para se criar uma boa música de protesto é criar algo sucinto e fácil de lembrar. Assim fica mais fácil pras pessoas colocarem em prática suas ideias e cantarem a música em protestos. Foi essa a intenção de Fiona Apple quando ela escreveu “Tiny Hands” (Pequenas Mãos). A música é composta de uma só frase

“We don’t want your tiny hands anywhere near our underpants!”

“Nós não queremos suas pequenas mãos perto de nossas calcinhas.”

A música é um comentário ao machismo de Trump. Fiona dá voz às mulheres que rejeitam o presidente. De quebra, ela tira sarro das “mãos pequenas” do presidente, uma recorrente piada que é feita contra o político. A música foi escrita para a marcha das mulheres, que aconteceu em Washington D.C, em Janeiro desse ano.





  1. Father John Misty – "Trump’s Private Plane"


Ás vezes, a situação política está tão surreal que o único jeito de lidar é através do riso. Afinal, o humor não serve apenas para celebrar ou glorificar, às vezes, a risada é a melhor maneira de denunciar. Há varias músicas políticas que desmerecem presidentes ridicularizando.

Essa música, cantada por Father John Misty, chama-se “Trump´s Private Plane” (O Piloto Particular de Trump). Ela foi escrita pelo comediante Tim Heidecker. A letra toma a perspectiva do piloto de avião particular de Trump, que lista as suas funções no trabalho. A piada é que o piloto está decidido em se suicidar e levar seu chefe junto, pilotando o avião até o chão. Isso, ele diz, seria “justiça para todos”.





  1. Supla – "Trump"


A música do Supla é bastante explicita em seu desdém pelo presidente americano. O engraçado é que isso é feito usando frases reais que Trump usou na sua campanha. Ou seja, as palavras de Trump, literalmente, sem modificação nenhuma, o condenam ao ridículo.





  1. Bixiga 70 – "Primeiramente"


Essa recém-lançada música do Bixiga 70 mereceu entrar para a nossa lista por ser uma raridade entre músicas de protesto. Isso porque ela é uma música de protesto totalmente instrumental. O título, “Primeiramente”, é uma clara alusão á frase que está muito popular no Brasil, “primeiramente, fora Temer”. Ouve-se isso em todo canto e apenas essa palavra é o bastante para fazer a sugestão que o Bixiga quer fazer. Além disso, há também o clipe da música, cheio de imagens de gente protestando na rua. A música, com sua melodia memorável e batida forte, invoca o sentimento de ultraje sem dizer uma palavra.





  1.  Chico Buarque - "Apesar de Você"


Tá bom, essa eu forcei um pouco a barra. Não é necessariamente um ataque a um presidente, nem mesmo um ditador ou um general. Essa música é um ataque a todo um sistema politico, a todo um modo de se pensar. A razão por qual eu acho que merece estar nessa lista é porque, na época, nem se Chico quisesse ele podia dizer o que ele realmente achava do general Médici. É algo até mesmo paradoxal quando se para pra pensar, se não fosse à censura, nunca teríamos uma poesia subversiva tão sublime como essa. Para burlar a censura, Chico dizia que a música era sobre o término de um casal. Vista assim, a música ainda funciona, embora seja óbvio que havia mais que isso por trás de frases como;

“Eu pergunto a você,
Onde vai se esconder,
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar”





  1. Sun City Girls – "Nancy Reagan"


A escolha mais obscura da nossa lista, a banda Sun City Girls é uma banda de Phoenix, Arizona, nos Estados Unidos. Alguns gostam de encaixotar o som deles dentro do punk rock. Isso por que eles têm suas raízes tocando em bares de punk, juntamente a bandas como Black Flag, Flipper e Minor Threat. Eles são, porém, muito diferente dessas bandas. Você nunca sabe o que vai ouvir quando se coloca um disco do Sun City Girls para tocar. Pode ser desde um cover punk de música popular a uma música de garage rock oriental, de poemas beatniks a um rock progressivo. No caso dessa faixa que escolhemos, direcionada a mulher do ex-presidente Ronald Reagan, o grupo nos dá a música de protesto mais explícita de todos os tempos. Não vamos traduzir o que é falado, fica para o discernimento do leitor, basta dizer apenas que eles não medem suas palavras ao falar da primeira dama. Há quem diria que eles passam do limite. Que são tão vulgares, que o ponto que querem passar é desmerecido. Não sei, talvez seja por isso que chamam eles de punks.





  1. Neil Young - "Let´s Impeach The President"


Como falamos, é importante que uma música seja fácil de lembrar, que há uma melodia e mensagem que fica na cabeça. Mais que isso, é importante também que tenha uma mensagem clara, que a pessoa saiba onde você se posiciona. Impossível ser mais claro que Neil Young nessa música, “Let’s Impeach The President” (Vamos pedir impeachment do presidente), escrito durante o governo de George W. Bush.




8. Lupe Fiasco - "Words I Never Said"


Lupe Fiasco é um rapper de Chicago, mesma cidade de onde vem o ex-presidente Barack Obama. Nessa música, Lupe fez o que muito rapper não teria coragem de fazer. Ele critica as guerras no oriente médio, como Neil Young acima. Mas, no caso, ele não culpou apenas os republicanos. Na letra ele ataca o presidente Obama, diz que ele continua a guerra e que não faz nada para acabar com ela. Por isso, Lupe diz na letra que não vai votar no Obama. Quando Lupe cantou a música em um show que celebrava o presidente, os organizadores tiveram que tirar ele do palco pois as pessoas estavam furiosas.




9. Lobão - A Posse dos Impostores


Até então essa lista foi composta de músicas de artistas de esquerda, contra governos de direita. É o mais comum de se encontrar. A verdade é que a maioria dos músicos, principalmente no Brasil, tendem mais à esquerda. Lobão é uma famosa exceção. Nos últimos anos o roqueiro ficou conhecido por seus ataques ao governo, em particular contra o Partido dos Trabalhadores.




10. Pink Floyd - The Fletcher Memorial Home


Nessa música do Pink Floyd, o compositor Roger Waters imagina uma casa de repouso para tiranos. Lá estariam figuras como Margaret Thatcher, ex-primeira ministra da Grã Bretanha. A música é altamente emocional e faz parte de The Final Cut, álbum que o músico escreveu em homenagem ao seu pai, que morreu na segunda guerra.



BÔNUS: Francisco El Hombre - Bolso Nada

Recentemente a banda Francisco, El Hombre se apresentou nos nossos estúdios. Uma de suas músicas é uma clara crítica ao deputado Jair Bolsonaro. Ele não é nenhum presidente, mas tem se apresentado como candidato. Por isso escolhemos essa música de nosso acervo para a faixa bônus. Confira!



Faltou alguma música/presidente que você incluiria nessa lista? Comente abaixo, queremos ouvir!


Data da publicação: 14/07/2017 - 14:25
Por: Johnny Carneiro